Se essa rota fosse minha

Santos Dumont

31/03/2016

Muito antes de ganhar os céus, Alberto Santos Dumont escreveu seu nome na história do pequeno distrito de João Gomes, ao pé da Serra da Mantiqueira, no interior de Minas. Na sede da Fazenda Cabangu, nasceu, em 20 de julho de 1873, o sexto filho do casal Henrique e Francisca Dumont. Cercado por lagos e um belo gramado, o imóvel foi residência da família até 1875. Apesar de ter passado pouco tempo por lá durante a infância, o gênio da aviação reatou os laços com o sítio na vida adulta. Há registro de uma visita a Cabangu em 1903, mas foi no fim da década de 1920, quando regressou de uma longa temporada na Europa, que Santos Dumont retornou à propriedade e comprou terras vizinhas para iniciar a criação de gado.

Transformado em museu logo após a sua morte, em 1932, o espaço hoje reúne documentos históricos e objetos pessoais, além de maquetes, projetos e réplicas das principais invenções de Santos Dumont. A grande atração do Museu Casa de Cabangu é uma imitação do 14 Bis, célebre por ser considerado, pelo menos no Brasil, o primeiro aparelho mais pesado que o ar a alcançar voo - o fato ocorreu em Paris, no ano de 1906. Outra joia da coleção é um projeto do Balão Dirigível nº6, que contornou a Torre Eiffel. Em um galpão anexo à casa, o visitante contempla invenções inusitadas de Santos Dumont, como um flutuador de motor de avião, projetado para deslizar sobre o Rio Sena, na França.

 

Serviço:

Museu Casa de Cabangu

Aberto diariamente, das 8h às 17h

Entrada a R$ 2

 


Ver todas publicações