Se essa rota fosse minha

Que comece a viagem!

Primeiro, foram os mochilões, expedições de jipe, moto, trem e longas caminhadas. Juntos há uma década, nós, o casal de repórteres Renato Weil e Glória Tupinambás, percorremos 59 países, dos cinco continentes. Agora, o sonho de desbravar o mundo se transformou em profissão e colocamos o pé na estrada a bordo da Casa Nômade. Abandonamos a rotina como jornalistas e deixamos para trás família, amigos, apartamento e um sítio para percorrer cada canto deste planeta dentro de um caminhão com apenas 10 metros quadrados.

Nossas aventuras vão começar pelo Brasil. Percorrendo as Rotas ALE, vamos apresentar um pouco das belezas da nossa terra: praias, cachoeiras, cidades históricas, estâncias hidrominerais, belas montanhas, museus... Vamos viajar do Oiapoque ao Chuí em busca de boas histórias.E você vai ver que entre o seu ponto de partida e o seu destino existem infinitas possibilidades.

Acostumados com os mochilões, a nossa bagagem é bastante econômica. Em um guarda-roupas de duas portas e quatro gavetas, vão as peças essenciais para uma boa caminhada, um mergulho na cachoeira ou no mar, um friozinho nas montanhas e só! Geladeira, fogão, pia e uma mesa se acomodam bem apertadinhos na cozinha. Dentro do armário, copos, pratos, talheres e mantimentos viajam presos para evitar bagunça durante os deslocamentos. No banheiro, o vaso sanitário divide espaço com uma ducha, com água aquecida a gás e bombeada por energia solar. A surpresa fica por conta da moto, estacionada na garagem construída em um compartimento debaixo da cama.

 

A Casa Nômade foi toda planejada para ser autossustentável e ecologicamente correta. No teto do caminhão, estão placas solares que captam a energia necessária para abastecer a geladeira, a bomba d’água, lâmpadas e equipamentos eletrônicos. Um gerador a gasolina permite o funcionamento da máquina de lavar e do ar-condicionado. Um toldo e uma cozinha externa ainda permitem que o motorhome tenha a sua própria varanda.

Morar em uma casa nômade exige de nós uma mudança de vida. Desapego se transformou em palavra de ordem. E nada do estresse de viajar com tudo milimetricamente planejado. Surpresas e imprevistos são a melhor parte do caminho. É claro que já passamos alguns apertos na estrada e guardamos, no currículo, as lembranças de noites dormidas ao relento, ônibus precários e golpes de guias de viagem. Mas tudo vale a pena para quem alimenta a alma com sensações, sentimentos e experiências que só uma viagem é capaz de despertar.

Para viver na estrada, economizamos cada centavo. Abrimos mão de roupas novas, celulares de última geração, badalação em casas noturnas e até dos souvenires e presentes típicos das viagens. No motorhome, também ficamos livres das despesas com hotel e restaurantes. Um novo estilo de viver em uma casa nômade que é bem pequena, mas tem o quintal do tamanho do mundo.

Venha viajar conosco. Os postos ALE vão mostrar para você que o caminho pode ser tão divertido quanto o seu destino. Escolha a sua rota e aproveite!

 


Ver todas publicações