Se essa rota fosse minha

Galinhos

13/06/2016

Não pense que o turismo pelos arredores de Natal se resume às dunas de Genipabu, às praias de Pipa, às piscinas naturais de Maracajaú e ao maior cajueiro do mundo. Na lista de passeios pelo litoral do Rio Grande do Norte, há Galinhos, um destino incrível, apesar de ser bem menos divulgado que os demais.

A vila de pescadores, localizada a 160 quilômetros ao Norte de Natal, fica na ponta de uma península, isolada por dunas móveis. Ali prevalecem o sossego e o clima de paz perfeitos para curtir os encantos da natureza.

Para chegar lá, é preciso deixar o carro no estacionamento próximo ao povoado de Pratagil e pegar uma balsa que leva ao município formado por ruas de areias fofas. O primeiro encanto do lugar são as charretes que servem de táxi aos turistas e os levam ao Farol de Galinhos, uma estrutura cercada por arrecifes e cuja base é alagada nas marés cheias.

  

 

Depois de percorrer as pacatas ruas do município, é hora de entrar em um barco no braço de mar que existe entre o continente e a península para visitar as salinas de Galinhos. Montanhas e mais montanhas de sal marinho compõem um cenário único. E o barqueiro ainda oferece aos turistas pedras de sal para degustação. Parece estranho, mas é isso mesmo! Você vai chupar pedras de sal como se fossem balas. 

 

 Pensa que acabou o passeio? Engano seu! Em poucos minutos, o barco atraca nas Dunas do Capim, onde está sendo instalado um parque eólico para produção de energia através da força dos ventos. É possível caminhar pelas dunas e experimentar a sensação de sentir-se minúsculo diante dos enormes cataventos.

Para se refrescar, vale o mergulho no braço de mar antes de voltar para o barco. Devido à alta concentração de sal na água, os turistas conseguem boiar ali com  muita facilidade, o que dá a Galinhos o apelido de “Mar Morto brasileiro”. 


Ver todas publicações